sexta-feira, 17 de julho de 2009

Fim de Tarde


Ontem, pouco depois das seis da tarde, encontro-me com a Susana após o episódio inusitado de quarta-feira. Chegamos quase em simultâneo à esplanada da Casa Agrícola, junto à rotunda da Boavista. Sentamo-nos e pedimos dois cafés. Começamos por nos rir devido à nossa troca de olhares no restaurante e no estratagema inventado por mim para obter o seu número de telefone. Tal como eu calculara, a Susana tem trinta e um anos e está divorciada há três anos. Não tem filhos e trabalha como secretária num escritório de advogados nas proximidades. Em breves palavras, também lhe expliquei quem eu era e o que fazia. A todo o momento, a troca de olhares mantinha-se intensa como tinha acontecido anteriormente. Uma vez mais reparo como os olhos dela são bonitos, de uma cor verde bastante invulgar. Parece ser daquelas pessoas que parece invadir a nossa alma com o olhar e lêr os nossos pensamentos mais secretos. A conversa nunca tocou em assuntos mais íntimos nem tomou rumos maliciosos. Não seria apropriado eu entrar a matar e deste modo, aguçaria ainda mais a sua curiosidade
O tempo passou depressa. Eram quase sete e meia e ela tinha que voltar para casa. Foi impossível combinar alguma coisa para este fim de semana, já que irá para a casa de familiares em Vila Praia de Âncora. No entanto, e com um sorriso matreiro, convidou-me para jantar em casa dela na próxima segunda-feira. Numa repetição de gestos que eu já tinha visto anteriormente, sacou do seu bloco de notas, arrancou uma folha e anotou a sua morada. Não fica muito longe do meu local de trabalho. Segunda-feira lá estarei...

2 comentários:

Katy disse...

Hmm...conheço uns olhos azuis assim...impenetráveis, mas que conseguem ler meus pensamentos mais ocultos e perceber meus desjeos mais secretos....
Ótimo final de semana!
Beijinhos.

doiSabores disse...

Anuncia-se uma segunda feira muito interessante...lol
Beijos saborosos