terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Pesquisa


Durante as últimas semanas tenho andado absorvido em pesquisas sobre o universo BDSM para algo que ando a escrever. Uma vertente da sexualidade que tem tanto de estranho e repulsivo como de fascinante...

8 comentários:

Fabby Lima disse...

Adoro esse universo do fetiche! Todo o prazer é válido! Irei amar o seu texto! Bjs Fabby Lima

oToupeiraX disse...

E vais partilhar o que escreveres?

Libertya... disse...

todo as vertentes são validas, desde que consentidas...
bjs libertyos em ti

Vontade de disse...

Há-de ter um lado interessante...

carpe vitam! disse...

fico a aguardar a partilha das conclusões...

pontorouge disse...

Existem mais coisas entre o céu e a terra... rs

beijo rouge

Dani

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Posso dizer-lhe que em se tratando de BDSM, tudo torna-se possivel, sem vergonha, sem receios, sem medos, sempre com alguns prinmcipios basicos, de respeito e segurança.
Esse é o verdadeiro BDSM, aonde sem angústia alguma, um homem ou uma mulher, embutidos no papel de Dominador e submissa, ada um na sua hierarquia vertical, gostam e necessitam dominar e submeter-se, sem esperar o julgamento e condenação da sociedade.

É ser fêmea e macho, livres.

Esperando ansiosamente por tuas conclusões....

Beijos carinhosos,

ÍsisdoJun

{Amar Yasmine}_DEXPEX disse...

Senhor Bernardo, Saudações!
*sorrindo*

Não vou falar aqui de BDSM, que é a invenção "politicamente correta" dos norte-americanos para a prática do Sadomasoquismo, ou SM tão somente.
Tentar esconder o SM atrás de uma sigla maior, quiça mais elegante, seria (como disse uma amiga muito lúcida e amada, a submissa *Vaca Profana*) como pintar uma zebra para que pareça um garanhão branco. Mais dia menos dia, a tinta escorre ou desbota e as listas da zebra ficam evidentes.
Podemos tentar mostrar as características positivas de quem pratica o verdadeiro SM, mas não podemos esconder que somos hedonistas, libertinos, perversos, parafílicos. De nada adianta enfeitar, somos o que somos, pessoas felizes, ainda bem.

Estranho e repulsivo? Sim, para quem não conhece ou não pratica é compreensível se visto assim.
Fascinante? Mais do que fascinante, o SM contamina. Entra pelas veias e corre por todo o corpo sem que seja possível arrancá-lo. Uma vez vivido em sua essência, não há antídoto ou remédio que o destrua.

Sou uma escrava. Trabalho, crio uma família sozinha, sou cidadã cumpridora de todos os meus deveres. Adoro ler, estudar, sou protetora dos animais e amante de todas as formas da arte. Consciente da força e poder da minha feminilidade que, sem pestanejar, deposito aos pés de um Sádico Dominador que me comanda e guia todos os meus passos. À vontade dELE me curvo e tudo permito. Para ELE sou a puta subserviente, o brinquedo, o bichinho de estimação, a masoquista, a filhinha, sobretudo a mulher realizada e plena, que tudo faz para vislumbrar em seu rosto um sorriso de orgulho e prazer.

O Sadomasoquismo é um mundo de delícias possíveis para quem tem coragem e esteja absolutamente consciente da opção escolhida. Quem se engana, ou julga poder vive-lo só por se encantar com ele, poderá sofrer demais e ter consequências desastrosas.

Enfim, SM não é para quem o admira e sim para quem é verdadeiramente um adepto.

Gostaria de ver seus escritos, Senhor. Doces besos!

{Amar Yasmine}_DEXPEX
a feliz escrava do SENHOR DOR EXTREMA PRAZER EXTREMO