quinta-feira, 5 de março de 2009

Afastados na Cama, Juntos no Prazer II


Ligas-me a meio da tarde a dizer que andas cheia de tesão nestes últimos dias. Combinamos uma conversa apimentada no msn por volta da meia-noite. Depois de jantar, entretenho-me a ver um pouco de televisão. No entanto, a programação medíocre não consegue prender a minha atenção e vou tomar um banho demorado. A água quente deixa-me a pele avermelhada. Visto apenas uma t-shirt, uns boxers e o meu roupão. Regresso à sala, desligo o televisor, acendo a lareira e sento-me no sofá com o portátil no colo. Entro no msn e é com satisfação que verifico que já estás online. Damos início a uma conversa de circunstância, onde relatamos o que temos feito nos últimos dias a nível profissional, dou conta das crescentes saudades que vou tendo do Brasil e das nossas aventuras.
Meia hora depois, dou início uma conversa de contornos mais provocantes. Começo por lhe perguntar o que tem vestido. Ela responde-me que está muito calor do outro lado do Atlântico e por isso apenas veste um baby-doll e umas cuecas fio dental que são do meu agrado. Peço-lhe para abrir a imagem da webcam. Alegro-me ao ver aquele sorriso franco e sincero. Ao vê-la de óculos, provoco-a, dizendo que sempre tive uma tara por professoras perversas. Ela corresponde ao dizer que sempre teve uma queda por alunos mal comportados. Não tardo para lhe pedir que me mostre a indumentária daquela noite. Ela levanta-se e vejo o seu baby doll azul claro aderente ao corpo. Logo de imediato, Cláudia vira-se de costas e mostra-me o rabo com as suas belas nádegas bem divididas por um fio dental. Ela rebola de modo sensual como uma stripper experiente...

Não foi preciso muito mais para me provocar uma enorme erecção, que se debatia por baixo dos boxers. Ela senta-se novamente defronte do computador. Tira os peitos para fora e faz-lhes carícias. Noto que ela se agita na cadeira e ás tantas reparo que aperta os seus mamilos com força. Peço-lhe que lamba as mamas para eu ver. Cláudia corresponde de imediato ao meu pedido e vejo-a elevar os peitos na direcção da sua língua rosada que os percorre com indisfarçável satisfação. Subitamente ela levanta-se, despe o baby doll e direcciona a webcam para a sua cama. Durante longos minutos vai-me provocando, ao brincar com as suas diminutas cuecas, ora colocando-se de quatro, mostando aquele traseiro maravilhoso, ora enfiando-as na vagina. Ela adora o meu lado fetichista e sabe que estas brincadeiras me empolgam bastante. Por esta altura, desaperto o meu roupão e tiro o pénis para fora dos boxers que já me causam algum incómodo. Começo a tocar-me levemente. Do outro lado do monitor, torna-se evidente que Cláudia está em excitação máxima. Abrindo bem as pernas da direcção da câmara, desvia as cuecas para o lado e vai-se tocando em lentos movimentos verticais. Por vezes demora-se um pouco mais na parte superior da vulva, acentuando as suas carícias no clítoris.
Entretanto, ela levanta-se mais uma vez e vejo-a remexer numa das gavetas da cómoda. Já calculo o que se trata e sorrio ao ver a sua maleta dos prazeres, onde esconde os seus brinquedos sexuais. Retira um plug anal que escolhemos numa ida a uma sex-shop, lubrifica-o e volta para a cama, onde o introduz lentamente no rabo. Os seus movimentos tornam-se mais lascivos, rebolando-se com prazer e masturbando-se com maior vigor. Deste lado, sinto a minha temperatura corporal aumentar exponencialmente e também me masturbo com mais força.

Uns dois minutos mais tarde, ela para o meu telemóvel. Tinha necessidade de um estímulo adicional. Cláudia adora ouvir palavras obscenas nos momentos mais íntimos e tento responder à altura, embora a minha respiração seja cada vez mais ofegante. No entanto, eu queria ver mais e ordeno que ela faça uso do seu vibrador. Sem demoras, ela corresponde ao meu pedido, metendo-o na frente com suavidade, enquanto o plug se mantém no seu traseiro. A visão era estimulante demais, ainda para mais ouvindo os gemidos dela pelo telefone. Não aguento mais e ejaculo abundantemente, ficando com a barriga toda lambuzada de esperma. Ao ouvir o meu gozo, Cláudia não se consegue conter e também liberta um sonoro orgasmo. O telefone desliga-se de súbito e observo-a prostrada na cama, escondendo o rosto com as mãos. Segundos depois, ergue-se e abre um enorme sorriso na minha direcção...






1 comentário:

Ventas e Xana disse...

Foto provocante!! Adoramos o texto!! Bjos Xana e Ventas